APL TIC Rio Preto


Em setembro de 2016 a Apeti comemorou a homologação do APL (Arranjo Produtivo Local) de TIC de São José do Rio Preto e região pelo  Governo do Estado de São Paulo. Desta forma, passou a fazer parte dos 43 municípios que compõem a Rede Paulista de Arranjos Produtivos Locais (APL) da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, onde somente 5 APLs são de TI. (veja a lista completa aqui: www.desenvolvimento.sp.gov.br/lista-de-apls).


Apresentação de São José do Rio Preto


A cidade de São José do Rio Preto (SP) está localizada em uma região privilegiada. É ligada às regiões Norte e Sul pela BR-153 (Rodovia Transbrasiliana), e às regiões Leste e Oeste (Goiás e Mato Grosso do Sul) pelas rodovias Euclides da Cunha e Feliciano Sales Cunha. Para a capital, São Paulo, pela rodovia Washington Luís. Assim, o desenvolvimento do município se dá de forma consistente.



 

São José do Rio Preto, metrópole regional, oferece uma excelente infraestrutura urbana, empresários e empreendedores pujantes, apresenta um dos mais baixos índices de evasão escolar do país e abriga importantes Instituições de Ensino Superior e Técnico, que contribuem de forma significativa com a formação de mão-de-obra especializada.


Com mais de 400 mil habitantes, a cidade está situada em uma região geográfica que interage com os estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás, constituindo-se em um centro de produção, consumo, serviços de natureza econômica, social e cultural que atrai mais de dois milhões de consumidores.


Capacidade das Instituições de Ensino e Pesquisa


A cidade abriga um conjunto de importantes instituições de ensino superior, a saber: UNESP – Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – IBILCE - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, FAMERP - Faculdade de Medicina de S.J. Rio Preto, FATEC - Universidade Estadual Paulista, UNIP - Universidade Paulista, UNORP - Centro Universitário do Norte Paulista (2 unidades), UNIRP - Centro Universitário de Rio Preto (6 unidades), UNICERES - Faculdade Ceres e Instituto Superior de Educação CERES, Faculdades Integradas Dom Pedro II /INPG, UNILAGO - União das Faculdades dos Grandes Lagos. Juntas, estas instituições disponibilizam 141 cursos de graduação, 203 cursos de pós-graduação com 27.401 alunos.


INSTITUIÇÃO

GRADUAÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO

UNESP/IBILCE

Bacharelado em Ciência da Computação

Ciências da Computação

FATEC

Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Gestão e Planejamento de TI

Tecnologia da Informação para Negócios

Consultoria Web

UNIRP

Ciência da Computação

 

Engenharia da Computação

 

Tecnologia em Gestão de TI

 

Engenharia de Telecomunicações

 

Gestão de Sistemas Informatizados - Internet e Redes

 

UNORP

Bacharelado em Ciência da Computação

 

Engenharia da Computação

 

Sistemas de Informação

 

Análise e Desenvolvimento de Sistema

 

UNIP

Ciência da Computação

 

UNILAGO

Engenharia da Computação

Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas

Sistemas de Informação

 

Tecnologia em Sistemas para Internet

 

SENAC

 

Gerenciamento de Projetos - Práticas do PMI

 

Gestão e Governança da Tecnologia da Informação

 

Tecnologias e Arquiteturas na Construção de Software

 

Tecnologia de Desenvolvimento de Sistemas


 Caracterização da Tecnologia da Informação em Rio Preto

 

A atividade de Tecnologia da Informação, tanto na cidade quanto na região de São José do Rio Preto, é bastante diversificada e desenvolvida seja na infraestrutura organizada de hardware, software, banco de dados, redes de telecomunicações, bem como nos chamados humanware ou peopleware, que são os profissionais que dão vida à Tecnologia da Informação: operadores, programadores, administradores de rede, de banco de dados, analistas de sistemas, gestores de TI, suporte técnico, entre outros. 


Diferentemente de outros setores de atividade, um dos diferenciais do setor de Tecnologia da Informação, em especial no desenvolvimento de sistemas, é a possibilidade das instalações da empresa não necessitarem de um ponto comercial. Ou seja, basta uma sala, um computador e conexão com a Internet, e a empresa está em condições operacionais. Muitas pequenas empresas surgiram e surgem desta forma.

 

Esta característica também beneficia o mercado de atuação dessas empresas. Os produtos e serviços das empresas da região estão presentes em todo o território nacional, e em alguns casos, no mercado internacional.

 

Ao contrário de outros ramos de atividade onde a localização, a capacidade produtiva, a robótica e o maquinário empregado determinam a competência da empresa, no setor de TI esta competência está diretamente ligada às pessoas que ali trabalham. O conhecimento, a competência e a expertise da empresa, são a resultantes da soma dos talentos que possui. Trata-se de um patrimônio intelectual em constante evolução e não de uma máquina que faz todo o trabalho.

 

Donde se conclui que a Tecnologia da Informação, além de não poluir, consumir recursos e produzir dejetos, privilegia o trabalho humano e a criação de postos de trabalho. Portanto, não é por acaso que em nossa cidade, haja tanta oferta de vagas universitárias e de especialização ligadas ao setor.

 

Não somente isso. Por suas características peculiares, o setor de TI necessita e forma uma mão de obra tecnológica altamente especializada, em constante evolução e, pelo sucesso e crescimento das empresas, reconhecida em todo território nacional e fora dele.

 

A Tecnologia da Informação, diferentemente de outras áreas de atuação, permeia de forma profunda e evidente quase todas as áreas do conhecimento humano. Ou seja, para resolver problemas com um nível adequado de qualidade, além dos conhecimentos técnicos em TI, o profissional deve possuir competência em áreas de aplicação específicas, sejam elas de engenharia, medicina, biologia, música ou administração, além de conhecer os processos envolvidos. A multidisciplinaridade é um dos fatores de desenvolvimento, inovação e competição do setor de TI.


Com tudo isso a cidade se beneficia, pois, se as empresas de TI locais fomentam e absorvem toda mão de obra existente, os profissionais do setor não precisam buscar trabalho e aperfeiçoamento nos grandes centros. Com isso, a cidade retém seu patrimônio intelectual, que causa reflexos em toda a economia local (arrecadação, comércio, serviços, empreendimentos, cultura, etc.).


O setor de TI em São José do Rio Preto está muito bem representado em toda sua complexidade. Desde fornecedores e distribuidores de equipamentos de infraestrutura em TI, passando por designers, consultores, especialistas em redes, banco de dados e segurança da informação, provedores de acesso à Internet, datacenters e, é claro, desenvolvimento de sistemas.

 

Além do desenvolvimento de ERPs (do inglês Enterprise Resource Planning), que é um sistema de informação que integra todos os dados e processos de uma organização em um único sistema, uma característica peculiar das empresas de desenvolvimento de software na região é a exploração de nichos de mercado, a saber: emissoras de rádio e televisão, laboratórios clínicos, hotéis, Ceasas, concreteiras, cemitérios e funerárias, planos de assistência médica, postos de combustível, confecções, gestão pública, contabilidade, varejo em geral, agronegócios, mobile, imobiliárias, geoprocessamento, distribuidoras de medicamentos, transporte, concessionárias, entre outros.

 

Esta característica da indústria de software local facilita a sinergia e a troca de conhecimentos e melhores práticas entre as empresas, pois não competem pelos mesmos mercados e clientes. A pequena competição local contribui para a estabilidade das pequenas empresas que se fortalecem e, a partir daí, saem em busca de novos mercados. Este ambiente também é propício ao surgimento de startups na região.

 

Se por um lado é verdade que a maioria das empresas locais não competem entre si, também é verdade que embora tenham problemas e necessidades comuns, não havia como esses empresários se conhecerem para a troca de experiências, pois atuavam em mercados e realidades distintas em seus respectivos nichos de atuação.

 

Daí cabe destacar o surgimento e atuação da Apeti – Associação dos Profissionais e Empresas de Tecnologia da Informação. Criada em 2003 pelos próprios empresários, vem servindo como catalizadora dos anseios, necessidades e reinvindicações dos vários segmentos do setor de Tecnologia da Informação. Atualmente é quem representa o Cluster TIC Rio Preto, além de servir como referencia e elo de comunicação entre o poder público, entidades representativas, instituições de ensino e pesquisa, imprensa e a comunidade em geral.


 

 

 

 

Tel. (17) 98211-0045

  Apeti - Associação dos Profissionais e Empresas de Tecnologia da Informação
Rua Dr. Raul Silva, 721 sala 01 - Vila Redentora - São José do Rio Preto/SP 
CEP.: 15015--020   |  Email: apeti@apeti.org.br
 

Desenvolvido por Webplus