início / blog

Quem quer ser um empreendedor?

Por trás de toda história de sucesso existe uma jornada heroica de alguém que não desistiu nos primeiros obstáculos. Muitas vezes, manter a energia ao longo dessa jornada é um verdadeiro “desafio de Atlas”, titã da mitologia grega que carregava a Terra nas costas. E a chave para o sucesso não é começar forte, é permanecer forte!

Postado em 14 de dezembro de 2021

Por trás de toda história de sucesso existe uma jornada heroica de alguém que não desistiu nos primeiros obstáculos. Muitas vezes, manter a energia ao longo dessa jornada é um verdadeiro “desafio de Atlas”, titã da mitologia grega que carregava a Terra nas costas. E a chave para o sucesso não é começar forte, é permanecer forte!

E como permanecer forte? Estudos mostram o passo a passo para isso. Vejamos!

Primeiro, estabeleça limites. Fixar margens inferiores e superiores para o que você precisa desenvolver em um determinado período de tempo (como um dia ou uma semana).

Segundo, encontre o ritmo de trabalho. O ritmo tem que fazer sentido para você e ser pautado no equilíbrio.

Terceiro, reserve um tempo para descanso e recuperação. Tenha em sua agenda um espaço para respirar.

Estudo conduzido nos EUA por Mol, Pollack e Ho, em 2018, teve como objetivo a avaliação de “burnout” no ambiente do empreendedorismo, analisando aspectos como paixão pelo trabalho, adequação ao trabalho e crenças sobre o destino. Foi demonstrado em tal estudo que esses fatores afetam resultados e influenciam no estresse e no desempenho dos empreendedores. Embora tais profissionais, em sua maioria, tenham autonomia para projetar seus próprios objetivos e metas, a falta de senso de adequação e a paixão exagerada pelo trabalho, acabavam por levá-los ao esgotamento.

Os empreendedores que relataram sinais de paixão obsessiva (principalmente ocasionada pela busca do status), foram os mais propensos ao esgotamento. Já aqueles que relataram pontuações altas de paixão harmoniosa (busca de satisfação pessoal), mostraram melhores níveis de saúde. Os empreendedores obsessivamente apaixonados, relataram sentir que o trabalho era mais desgastante emocionalmente e que trabalhar o dia todo exigia muito esforço. Dentre eles, aqueles com uma mentalidade menos flexível, eram ainda mais propensos ao esgotamento.

Quando um empreendedor é confrontado com novos objetivos, é fácil pular no desafio com os dois pés. Mas ter resistência para sustentar essa energia inicial é bem difícil.

Muitas pessoas, quando em ambientes de alta pressão emocional, se sentem infelizes, apesar de terem trabalhado arduamente para chegar à posição em que estão. Os psicólogos usam o termo "enredamento" para descrever uma situação em que as fronteiras entre a pessoa e o trabalho se tornam confusas e as identidades individuais começam a perder importância. O “enredamento” impede o desenvolvimento de um senso de identidade estável e feliz. Indivíduos nessas situações, frequentemente, sofrem de ansiedade e outros males físicos e mentais. É necessário reivindicar um tempo para si, diversificar suas atividades e fomentar relacionamentos. Com isso o empreendedor pode construir uma identidade equilibrada e de acordo com seus valores.

Ser um empresário de sucesso, principalmente no Brasil, é para os ‘fortes’, e não estou falando de músculos.


por Rafael Braile - Diretor do Conselho Estratégico da Apeti (Associação dos Profissionais e Empresas de Tecnologia da Informação)


Compartilhe:

Quer falar com a gente?
Entre em contato com a [Apeti]