Noticias

Lugar de mulher é na tecnologia, sim!

Conheça algumas mulheres que fizeram história na tecnologia mundial.

 

No mês que se comemora o Dia Internacional da Mulher, nada mais justo do que falarmos delas em todas as suas áreas de atuação. E, como em todas as áreas da vida pessoal e profissional, as mulheres se destacam, cada dia mais, no meio tecnológico. Elas contribuíram com descobertas importantes para o desenvolvimento de softwares, tecnologias em geral, e foram (são!) grandes nomes para que a TI alcançasse os níveis de hoje.


Por isso, hoje, você irá conhecer algumas dessas mulheres impressionantes e se encantar com a contribuição delas para a tecnologia ser o que conhecemos hoje.


Em 1843, Augusta Ada King, condessa de Lovelace, decodificava os textos de Luigi Menabrea, matemático inglês. A partir disso, ela criou o que muitos especialistas consideram o primeiro algoritmo criado na história, ante mesmo de ter equipamentos que pudessem fazer a sua decodificação.


Ada conviveu com o problema de não conseguir confirmar os seus estudos, pois não possuía os equipamentos necessários, esses chegaram pouco depois de sua morte e, de fato, confirmaram seus estudos. Hoje, ela dá nome ao prêmio da Sociedade Britânica de Computação que contempla avanços significativos em sistemas de informação.


Antes de a tecnologia avançar tal como é hoje, os computadores precisavam (muito!) da ajuda humana e aparatos mecânicos para funcionarem corretamente, ou seja, éramos os cérebros por trás deles. Quando se falava em trajetória de bombas e mísseis isso se tornava mais evidente. Foi quando surgiram, ou melhor já estavam na ativa, as garotas do ENIAC, as primeiras “computors” da história da informática.


As mulheres trabalharam com o primeiro supercomputador, criado na Escola de Engenharia Moore, nos EUA. Betty Snyder, Marlyn Wescoff, Fran Bilas, Kay McNulty, Ruth Lichterman e Adele Goldstine, eram as responsáveis pela configuração do ENIAC, dando as instruções para que ele realizasse os cálculos necessários. Foram elas, também, as responsáveis pelo início do uso de códigos que são utilizados até hoje.  


Você conhece o termo “bug” que indica complicações em software? Claro que sim, todos nós já ouvimos falar. Mas o que talvez você não saiba é de onde surgiu esse termo. A expressão surgiu quando a matemática Grace Hopper, para resolver um problema de processamento de dados, retirou uma mariposa que estava fazendo ninho dentro de um computador, e foi quando indicou que um “debugging”, ou remoção de inseto, era o melhor caminho para a solução dos problemas em software. Hopper é também uma das criadoras do COBOL, uma linguagem de programação para banco de dados comerciais.


Sabe a ferramenta que possibilita a busca no Google? A base desse sistema foi desenvolvida, dentre outros colaboradores, por Karen Sparck Jones. O chamado “inverso da frequência em documentos” é o que possibilita os sistemas de busca e localização de conteúdo e é a pedra fundamental de empresas como a Google. Um sistema de recuperação de informações de maneira veloz os dados em conjunto com documentos. A busca é feita por expressões que se destacam nos textos cruzando com dados do sistema de filtragem, exatamente como conhecemos hoje.


Essas são apenas algumas das muitas mulheres que se destacaram na trajetória da tecnologia da informação. Hoje, temos grandes mulheres à frente de grandes organizações, mostrando que o lugar da mulher é sim no meio tecnológico.

 

 

 

 

 

 

Tel. (17) 98211-0045

  Apeti - Associação dos Profissionais e Empresas de Tecnologia da Informação
Rua Dr. Raul Silva, 721 sala 01 - Vila Redentora - São José do Rio Preto/SP 
CEP.: 15015--020   |  Email: apeti@apeti.org.br
 

Desenvolvido por Webplus